Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2015

Agridoce - Capítulo 2

Finalmente entrei em meu carro e segui rumo até o meu apartamento. Meu adorado lar. Tinha sorte de não morar muito longe do meu trabalho. O prédio da empresa ficava na marginal Pinheiros. Com aquele trânsito maravilhoso eu levava cerca de 50 minutos para chegar até o meu destino, no Ipiranga.

Gostava muito da localização, tudo que precisava era perto. Mas o real motivo de eu viver lá, era por ser próximo a antiga casa dos meus avós. Fazia 5 anos que eles tinham falecido. Era justo que ficasse comigo, meus pais não a quiseram e eu sempre fui muito apegada aos meus velhinhos.  Lutei na justiça por ela.  Até perceber que os meus tios não me dariam facilmente, decidi comprá-la.  Passei meus momentos mais felizes com o meu pai e meus avós nela, eu gostaria de tê-la para sempre.

Deixei meu carro no estacionamento do prédio e fui para o elevador. Parei no térreo.

- Boa noite – o porteiro sorriu

- Tem algo para mim ?

- Tem essas correspondências senhorita Patrícia – ele a entregou uns envelopes.

-…

Agridoce - Capítulo 1

- Bom dia! – Letícia me disse assim que entrei no prédio.

Segui andando sem respondê-la. Imaginei que não tinha gostado. Bom dia... Era péssimo dia! Já o detestava por ser segunda-feira. Acordar cedo, voltar ao trabalho e se ao menos eu pudesse ficar em casa. Eu não entendia, como as pessoas poderiam me desejar isso? Afinal, elas viviam sonhando com a sexta. Deveríamos desejar era meus pêsames.

Letícia, uma chata metida a simpática. Seu sorriso de sonsa me irritava, pois sabia que era tão falso quanto aqueles peitões que ela fazia questão e mostrar. Sim, ela era linda. Loira. Alta. A funcionária perfeita para qualquer homem dar uns amassos no final do expediente. Lamentável.

Entrei no elevador e contei os minutos para que ele chegasse em meu andar. Ainda da bem que nenhum chato quis puxar assunto.

Joguei umas folhas na mesa do meu supervisor e fiquei alguns instantes esperando que ele falasse algo.

- Obrigado – Ele começou a me fitar.

-Ok – sai da sala as pressas.

Eu já sabia no que iria d…